Faz sentido ir ao médico quando começo a ter dificuldades em andar?

Vai decorrer no próximo sábado mais uma conferência do ciclo Conversas no Campus sobre Saúde onde, como habitualmente, será abordado um tema de relevância para a população em geral. Neste sábado o Dr. João Vide (ortopedista) e a Dra Marisa Brum (neurologista) irão tentar responder à pergunta se vale a pena ir ao médico quando o andar começa a ficar diferente, com desequilíbrios e eventualmente quedas. Esta conferência surge também no contexto da criação da consulta de alterações da marcha no CNS.

O termo marcha designa a forma como uma pessoa anda ou caminha e são múltiplos os problemas médicos que causam perturbações do andar. Estas alterações da marcha para além de limitarem a mobilidade podem levar à ocorrência de quedas, fracturas ou outras lesões graves. Por permitir diagnosticar várias doenças e possibilitar o seu tratamento minimizando o risco de quedas e melhorando a mobilidade e qualidade de vida justifica-se a importância da análise da marcha. Entre as doenças que causam alterações do andar e equilíbrio incluem-se problemas neurológicos (ex. Doença de Parkinson, AVC), ortopédicos (articulares, problemas da coluna), do ouvido (ex. vertigem) e outros (ex. efeito adverso de medicamentos, etc.).

Esta consulta pioneira beneficia ainda da experiência da equipa multidisciplinar do CNS (que inclui neurologistas, neurocirurgiões, ortopedistas, otorrinolaringologistas e fisioterapeutas) na investigação e tratamento das alterações do andar e equilíbrio.